trombose venosa profunda

Formação de coágulo sanguíneo no interior de veias profundas, onde o sangue circulante deveria sempre permanecer na forma líquida.

As veias mais comumente acometidas são as dos membros inferiores (cerca de 90% dos casos) e os sintomas mais comuns são o edema (inchaço) e a dor.
Geralmente é diagnosticada através da história clínica do paciente, do exame físico e muitas vezes utilizando exame de ultrassonografia com doppler colorido.
Em sua fase aguda, pode levar a uma complicação muito temida que é a embolia pulmonar (quando o trombo localizado nas veias profundas fragmenta-se e migra até as artérias pulmonares, causando oclusão das mesmas e gerando problemas cardíacos e pulmonares).

Na fase crônica, a TVP pode levar à Síndrome Pós-Trombótica, a qual ocorre por lesão das válvulas existentes dentro das veias ou pela ausência de recanalização do trombo. Nessa síndrome, o paciente pode apresentar manchas escuras da pele (dermatite ocre), varizes, inchaço (edema) das pernas, eczemas, endurecimento da pele na região do tornozelo (dermatosclerose) e até feridas (úlceras de estase). Todos estes sinais geralmente estão associados a sintomas como dor, sensação de peso e cansaço, além de coceira (prurido).

Os principais fatores de risco para TVP são:

• Passado de TVP;
• Uso de anticoncepcionais orais;
• Terapia de reposição hormonal;
• Imobilização prolongada;
• Idade > 40 anos;
• Infecções graves;
• Tumores malignos;
• Gravidez;
• Obesidade;
• Grandes cirurgias;
• Tabagismo;
• Anormalidades genéticas do sistema de coagulação;
• Insuficiência cardíaca;
• Síndrome nefrótica;
• Hepatopatia crônica;
• Politraumatismo;
• Puerpério (período pós-parto);
• Grandes queimados.

Como é feito o tratamento?

O tratamento deve ser feito por um especialista e é realizado com medicamentos anticoagulantes (que impedem o aumento e progressão do trombo e a evolução da trombose) e/ou fibrinolíticos (medicamentos que destroem o trombo). Geralmente o paciente fica internado nos primeiros dias após o diagnóstico e depois realiza o restante do tratamento com acompanhamento em consultório. A medicação anticoagulante é usada por pelo menos 3 a 6 meses, podendo esse período ser prolongado, dependendo da causa da trombose. Juntamente com esta medicação, o paciente deve fazer repouso com as pernas elevadas e fazer uso de meias elásticas.

*Existem alguns medicamentos e alimentos que interferem na ação dos anticoagulantes e são proibidos neste período. O médico deve ser consultado sempre que julgar necessário fazer uso de outro tipo de medicação.

E o que podemos fazer para prevenir a TVP?

O principal é combater a estase venosa, ou seja, estimular a circulação do sangue.
• Faça atividades físicas regularmente;
• Mantenha-se dentro do peso ideal;
• Evite fumar;
• Nas situações em que necessite permanecer sentado por muito tempo (como longas viagens de carro ou avião), procure movimentar os pés como se estivesse pisando no acelerador do carro e, se possível, levante-se e ande por alguns instantes;
• Antes de viagens de longa distância, caso você possua algum fator de risco, converse com seu médico sobre o uso de meias elásticas e medicações preventivas;
• Se precisar permanecer acamado por longos períodos, faça movimentos com os pés e as pernas. Caso não consiga fazê-lo sozinho, solicite ajuda de alguém;
• Se você irá se submeter a uma cirurgia de médio ou grande porte, converse com seu cirurgião a respeito das medidas a serem adotadas para a prevenção da TVP;
• Se você necessita fazer uso de hormônios e já foi acometido de trombose ou tem história familiar de tendência à trombose, converse com seu médico e consulte um especialista.